05 junho 2016

Alien


Talvez eu nunca serei tão bonita quanto eles
Chame tanta atenção quanto eles
Nunca seja aceita como eles 
Por que talvez eu não queira ser como eles
Se para isso eu preciso ser igual 
Fico aqui mesmo 
Eu e minhas aberrações
Minhas manias, meus truques, meu desejos 
Meus tão abominados defeitos
Talvez eu seja muito de algo
Ou me falta tanto
Tão intensa, e subestimada 
Mas nunca artificial
Se sinto, é com intensidade
Se não gosto, então não me pertence
Talvez soe confuso
Mas é humano
Tenho certeza disso
Talvez os outros de vocês
Não me ouvirão
tão bem
porque falo um pouco embaralhado 
Meio desordenado
E um pouco baixo 
Bem baixo, na verdade
Mas não é porque quero
As vezes eu tento ser melhor
agir mais como eles
Mas então eu deslizo 
Na minha própria idiotice 
Como uma imbecil
E caiu
Me escondo e choro
Desisto
E de envergonhada 
Não volto mais 
E procuro meu próprio equilíbrio
E se consigo
Posso tentar de novo 
Mas nunca dá certo
Tento ver com outros olhos
Esses devem está com defeito
Pensar de outra forma
Agir com outros modos
Viver em outro corpo
Deus, nada funciona!
Como que se arranca algo
Que está dentro de você?
Me ensine
Talvez eu nunca descubra como.
Talvez eu deva aprender
A conviver com isso
Fazer do ruim algo bom
Fazer do meu bom
O bom para os outros
Pra aprender a conviver com os outros
Preciso aprender a conviver comigo
Me suportar, me aceitar
Aceitar o que é humano
E o que não é
Pois é igualmente natural 
Aceitar o Alien que vive dentro de mim
E viver em paz entre os humanos. 





6 comentários:

  1. Olar! escrito por ti? Amei! Me identifiquei para caramba com o texto e agora pensando sobre esse titulo, nunca pensei que eu poderia me chamar de alien. Muito bonito, de verdade <3

    BEIJUUU

    devaneiosbm.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz que tenha se identificado, Marieli *-* Obrigada pela visita. <3

      Excluir
  2. Sempre arrasando nas poesias!
    Tem uma tag pra ti lá no blog: http://invernode1996.blogspot.com.br/2016/06/semana-hibrida-tag-hibrida.html

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Isso me tocou profundamente. Me identifiquei muito com tudo dito ali. Nunca consegui me amar, e ao perceber que trocar de corpo era impossível, quis sumir. Não me aceitava como era. Mas cabe a nós, mudar esta situação. Eu acabei de postar um sobre tudo se amar. Eu realmente conto muito com a sua visita. Seu blog, seu complexo e seus posts tem me feito pensar ainda mais. E digamos que me inspirei no seu ultimo poema para escreve lo em base nos meus depoimentos. Um beijo da Bru. <3 http://devaneiosbm.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico tão feliz em ouvir isso, flor :3 Sim, já passei por lá rsrs Fico muito feliz quando você comenta, volte aqui mais vezes :* Um beijo.

      Excluir

©
Winter Birds - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda Vitória.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo