22 junho 2016

To Neglect

      Ele não se conceituava como permanente, como alguém de um amor só, alguém decidido, de princípios esclarecidos, sem dúvidas, e sem deixar dúvidas. Então todas as vezes que brigavam, ele sempre voltava pra ela, sempre a encontrava novamente, mesmo quando eu pedia aos céus em vão para que seus caminhos nunca mais se cruzassem novamente, para que se por um único e coincidente grande milagre pudesse chegar a minha vez, mas vez em quando podendo levar em conta a pessoa a que estava pedindo era correto afirmar que minhas chances já haviam me abandonado a bastante tempo. 
         Ele decididamente não era alguém de conclusões permanentes, definitivas, estáveis, certas, seguras, firmes, quero dizer, menos comigo, até o meu último e pequeno gole de esperança da minha quase infinita fonte, quando em algum momento em algum lugar da sua mente eu poderia ter passado por ali em um flash rápido de 0,3 segundos. Bem, se você me entendeu, até isso, é certo de dizer que seu desinteresse em mim sim, foi permanente. Foi definitivo, fixo e permanecente, seguro da decisão. Posso dizer, fui a única certeza dele.

8 comentários:

  1. Amandinha sua linda,lendo seu texto agora,parece que até foi escrito pra mim (andou lendo meus pensamentos rsrs).Sabe quando a gente precisa de palavras confortantes?Bem,encontrei essas palavras em seu texto.Continuem escrevendo sempre assim,com bastante intensidade.
    Beijos
    http://nadadecontodefadas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que sofremos juntas ashuahsua <3 Obrigada, Erika.

      Excluir
  2. Olá, você é muito talentosa, li seus outros textos e amei, tudo de bom pra você, amor.

    http://idealizandolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, bem vinda, fico feliz que goste do que escrevo <3

      Excluir
  3. Wow, que texto ótimo! Gostei da antítese de ideias, e da forma como foram expressos os sentimentos; você tem talento, garota...

    Que sua sexta e seu fim de semana sejam recheados de coisas boas.
    O Único Jeito

    ResponderExcluir
  4. Oi, Amanda!
    Você é super talentosa, escreve muito bem. Adorei seu texto, me identifiquei com cada palavra, Roubou meu diário né rsrs! brincadeira, mas ta bem parecido com os meus sentimentos.
    Escreve mais, estou ansiosa.
    Já estou te seguindo :) para acompanhar as novidades! Poderia retribuir o carinho, seguindo o meu?
    Beijos
    http://palavrass-ao-vento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se fico feliz ou triste em saber que não sou a única que sofre com isso rsrsrsrs Claro moça, já passei por lá :)

      Excluir

©
Winter Birds - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda Vitória.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo